O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 

DEUS NÃO DESISTE DE VOCÊ

““Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus” (Fp 1.6)

Neste exato momento há uma intensa obra divina em atividade, e você está bem no meio dela. Um dia, aquele ser frágil, problemático e insignificante chamou a atenção do Todo Poderoso, e agora Ele não tira os olhos de você.

Não foi você que buscou a Deus ou que o encontrou. Foi Ele que o achou. Deus é o iniciador de tudo. Não há mérito em nenhum de nós. Ele nos viu caídos, ansiosos, desamparados, viu a nossa maldade e egoísmo, mas vislumbrou em nós pessoas que seriam expressões vivas da sua glória, sabedoria, amor e bondade.

É de se admirar porque Deus dentre tantas nações escolheu o povo de Israel para ser o seu povo e honrá-lo. Não foi por mérito, não foi por grandeza, mas porque o Senhor os amou (Dt 7.8).

Quando Deus nos olha Ele não nos vê apenas como somos ou como fomos, mas como seremos. João já dizia isso: “Amados, agora somos filhos de Deus e ainda não se manifestou o que havemos de ser” (1Jo 3.2). Aliás, vemos na Bíblia que Deus tem muito pouco interesse no nosso passado, e faz questão de dizer que de nossos pecados não se lembrará mais. Talvez essa seja uma dica importante para muita gente que não percebe o que Deus está fazendo e continua insistindo em olhar para trás, enquanto a bíblia diz para olhar “firmemente ao Autor e Consumador da nossa fé, Jesus”. Portanto, não é o que fomos que interessa, mas o que seremos, da mesma forma que a vida de um cristão não se avalia pelo início, como começa – pois quase sempre é cheio de fogo de palha – mas pelo final, como termina.

Deus chama para si a tarefa de iniciar um projeto de vida em nós. Aquele que iniciou também prometeu que será o aperfeiçoador. E só Ele pode fazê-lo. Tudo o que há de bom em nós vem pela operação divina, pois é Ele quem opera em nós tanto o querer como o efetuar segundo a sua boa vontade (Fp 2.13).

Quando eu quero algo bom, Deus desejou em mim. Meus sentimentos mais profundos foi Deus que implantou em mim. Agostinho diz que nós desejamos, mas é Deus quem implanta esse desejo. Agimos, mas é Deus que age em nós.

Lembro-me de um filme famoso chamado “My fair lady”, que conta a história de uma miserável vendedora de flores de nível baixíssimo. Ela é irritante, chorona e insuportável. Em um dia chuvoso aparece em sua vida um rico professor que faz uma aposta com um amigo: ele garante que consegue transformar aquela garota sem “finesse” e de linguajar chulo em uma bela e delicada dama. Depois de alguns meses de aula e paciência do professor, aquela bela jovem, porém maltratada e inculta, transforma-se numa adorável mulher, que de desprezada, passa a ser cortejada por todos.

Às vezes eu tenho a impressão que Deus continua sempre “apostando” em mim, apesar de eu mesmo já ter tentado desistir inúmeras vezes. É como se Ele me dissesse: - “Não desista! Eu ainda não acabei”.

Você já se sentiu imprestável, incorrigível, impuro, carnal, a pior das criaturas? Tranqüilize-se – apesar de às vezes ser a mais pura verdade, mesmo assim Ele não desiste de você.

As coisas que nos acontecem nos parecem incompreensíveis no momento – obstáculos, derrotas, pequenas humilhações, mal-estar interior, desassossego de alma.... Não se preocupe, pois está em andamento um projeto de maturidade para sua vida que aos nossos olhos é incompreensível pois só enxergamos parcialmente. A nossa vida, às vezes é como o mecanismo daqueles relógios antigos, onde algumas engrenagens rodam para trás, outras para frente, outras são rápidas, outras vagarosas.... Não vemos lógica alguma ao olharmos para as engrenagens, mas o relógio está caminhando perfeitamente.

Há propósitos soberanos e graciosos de Deus para sua vida. Ele pretende aperfeiçoá-lo, amadurecê-lo, torná-lo mais santo, mais fiel, mais sereno. Esses propósitos de Deus muitas vezes se concretizam de forma dolorosa. Haveremos de ser moídos, apertados, peneirados e espezinhados. A nossa primeira reação é de fuga. Queremos fugir como Jonas ou nos esconder como Elias, mas mais cedo ou mais tarde Deus nos levará a reconhecemos a nossa covardia.

Deus não desistiu de Pedro quando O negou. Não desistiu de Davi quando adulterou. Não desistiu de Jacó quando enganou. Não desistiu de seu povo quando se desviou. E não desistirá de você enquanto Ele não terminar a obra, pois o que Deus começa... termina.

Pr. Daniel Rocha

Igreja Metodista em Itaberaba - Todos os direitos reservados